jump to navigation

A Ópera. 07/06/2009

Posted by Bruno Mazzi in Inutilidade Jovem.
2 comments

A cada música, ecoa o vazio do silêncio.
A melodia, de um ritmo desolador.
Observador, notas harmônicas.
Marfim branco de um piano aterrador.

Realista, naturalista…não sei!
Interior, exterior…afinal pensei!

Na vida como um ato.
Insensato, da fantasmagórica ópera vivida.
Eufórica, repleta de ações.
Intenções distintas, destinos iguais.
Reais, laçando uma falsa ética.
A regra teatral Aristotélica.

Fios de uma marionete.
Sobre o palco flamejante.
Constante, dos dias terrenos.
Tormento sereno.

Mantendo o sentido tolo
Da solidão onde nos encontramos todos.

Anúncios

Saudades. 24/05/2009

Posted by Bruno Mazzi in Utilidades.
add a comment

Saudades de um tempo que não volta mais.

Saudades da segurança, da amizade, do afeto.

Dos vizinhos, da correria, dos frangos no gol. Da bola na casa da vizinha.

Saudade das brigas, do Mario World no Super Nintendo.

Saudade de acordar e ir pra escolha, saber que todos os dias seriam assim.

Saudade de ter a certeza do amanhã.

Jogar taco, desenhar com tijolo na rua. Correr na chuva, Gritar quando acabava a luz no meio do banho.

Saudade do Skate, do Patinete, do amigo gordo, do amigo baixinho.

Saudade de apagar a luz do poste usando laser, Subir na árvore, fazer cabana.

Viajar de carro, ouvindo Raul Seixas, ou dormindo largado no banco de trás.

Saudade das bombinhas, ou de hahahaha, estourar o dedo do pé na calçada. e chegar todo ensanguentado em casa.

Saudade dos ralados no joelho, daquela vida mansa…

Saudade de acordar cedo, correr pra TV, pegar Nescau e bolachas, e ficar vendo desenhos.

Saudade de um tempo que não volta mais.

Eu tive um sonho….nele uma suposta ‘vidente’ me dizia…”O Futuro te reserva coisas horríveis”…

O futuro incerto já é horrível, e quem sabe o presente já não seja…

Abraços, volto logo.

Mr. Crowley – “O Mago de Mil Faces” 19/04/2009

Posted by Bruno Mazzi in Utilidades.
1 comment so far

O Post de hoje é sobre um ‘mito’ das ciências exotéricas, mago, escritor, ocultista, fã dos prazeres da vida e das drogas, Além de influência para muitos astros da música até hoje. Não, não estou falando de Paulo Coelho, kkkk. E sim, Aleister Crowley; imortalizado (também) na música Mr. Crowley de Ozzy Osbourne.

Retomando o meu velho estilo, “Um pouco de cultura para vocês”: Edward Alexander Crowley, nasceu em Warwickshire, Reino Unido em 12 de outubro de 1875; filho de um pastor protestante, e sua mãe o maltratava muito, o apelidando de “Besta” apelido que traria parte de sua grande fama e mistério.

Na escola era muito brilhante, obediente, mas era um menino de saúde frágil, sendo assim receitado heroína para seu tratamento de asma, substância que usou até os 72 anos de idade, quando morreu, de parada cardíaca.

Na universidade Crowley realmente se encontrou, com muito dinheiro, da herança do pai que havia morrido a pouco, e livre de repressões exerceu todas as atividades pelas quais ficou conhecido, alpinismo (exímio alpinista), enxadrismo, poesia, sexo, magia, e foi como dizem, foi excepcional em todas elas.

Edward queria ser aceito e reconhecido por todos, mas quando notou que isso não era possível, não havia ‘senso comum’, ele optou pelo inverso; escandalizar, abalar as bases da sociedade puritana inglesa.

Chegando a adotar o apelido de “A grande besta 666” para escandalizar e não ser entendido como estudioso religioso e defensor da igreja, o que o faz levar até hoje a fama de satanista.

Nessa mesma época Crowley é iniciado em uma ordem pseudo-maçônica, onde cresce rapidamente de posto, com auxílio do chefe da ordem, provavelmente interessado em seu dinheiro; e se torna um mestre para Crowley.

Crowley assim inicia seus trabalhos místicos, usando como uma das bases o uso de substâncias psicoativas para ‘abrir a percepção’, e começa a escrever seus livros, e publicá-los com seu próprio dinheiro os vendendo a preço de banana, o que o leva a falência total, sobrevivendo até o fim da vida com doações e venda de livros e viciado em heroína.”

A ideologia de Aleister Crowley é pregada até hoje, através de textos e músicas, principalmente no mundo do Rock n’ Roll e do Heavy Metal.
Jimmy Page vocalista da banda Led Zeppelin comprou o seu castelo na Europa, Ozzy Osbourne compôs a tão famosa música “Mr. Crowley” em sua homenagem, Beatles estamparam uma foto sua na capa do Album “Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band”, além de o próprio Led Zeppelin no Album IV, como especulam. David Bowie, cita Mr. Crowley na música “Quicksand”, Além de Iron Maiden etc. John Fruscinante (Red Hot Chili Peppers) nas músicas ‘666’ , ‘I’m Around’ , ‘Emptiness’ and ‘Look On’ de seu álbum solo. Rolling Stones, e são vários outros músicos internacionais, , .No Brasil Raul Seixas em várias músicas, e na tão famosa “Sociedade Alternativa”, (“…O número 666, chama-se Aleister Crowley”..) Além de outras tantas frases; Rita Lee também é influenciada pelo estilo e ideologia de Crowley, além de o anteriormente citado escritor Paulo Coelho.

Aula de Rock n’ Roll e filosofia para vocês, Abraços!

Obrigado, volto logo!

Teoria da Conspiração?! 14/04/2009

Posted by Bruno Mazzi in Inutilidade Jovem.
2 comments

Oi amigos e amigos, estou de volta.

Eu li o jornal hoje.

Não costumo fazer isso;  Também não sei por que; Mas hoje eu li, e me lembrei de algo que um professor sempre diz.

“Leia a Veja, mas como ficção, você não vai encontrar verdade lá…” ou algo do tipo…e é a verdade né?!

Por que a mídia no geral manipula tanto as informações?! já assistiram uma mesma notícia em diversos jornais de emissoras diferentes? Sempre tem um foco diferente, uma versão diferente; da mesma notícia.

Por que somos levados a ver as coisas sempre do jeito que nos impôe?! Esses dias, um amigo; Robson, disse que eu tenho um senso crítico fora do comum pra minha idade, e que as pessoas da minha idade só querem ‘zuar’?! será que eu sou anormal? ou todos os outros que são?

Eu ‘zouo’, mas não consigo seguir os outros corderinhos na fila sabem?! kkk, Eu rio da vida, e de todas as coisas embecis que as outras pessoas são levadas a acreditar serem importantes;

É mais fácil manipular pessoas com baixo conteúdo intelectual…

Fujamos a regra!

Kkkk, Quanto assunto, não sei onde esse texto vai parar.

É, acho que o texto não para..se parar…morri 🙂

Viajando de Carro…(Parte II) 11/04/2009

Posted by Bruno Mazzi in Utilidades.
2 comments

Mas amor existe, numa fração de momento onde o passar insiste;

Há a falsa impressão de coerção, corrupção; ilocução.

Resiste! com o repetir do passar, o calor sentirá;

Apesar de tudo, em cada buraco deste mundo, imundo;

Há pessoas, felicidade, amor, paixão…é incrível;

Mesmo com todas as dificuldades, há felicidade, saudade…e em um abraço a complexidade de uma vida sofrida;

Preguemos a união, deixemos a alienação…e ouçamos a voz;

Ainda, que não percebamos, continuamos, tapando nossos ouvidos, ao gritante, a irritante voz da descência;

Nossa consciência.

Feliz Páscoa para todas as almas desse mundo estúpido;

Viajando de carro…(Parte 1) 26/03/2009

Posted by Bruno Mazzi in Inutilidade Jovem.
1 comment so far

Ao descer da luz; na multidão tudo seduz; o vidro reflete; o que ainda compete nossa ambição;

Barrigas vazias gritam em vão; na solidão, triste, ainda insiste; em busca de um calor, um amor que não existe;

Mas há vida, a vida, ávida vida, viva; O contrário do avaro, é claro; sem intenção, mas o sangue corre pelo chão;

Futuro seguro, impuro; Fruto do dinheiro, corriqueiro; Para nosso lazer, prazer; É raso, parvo;

Viajando de carro, vidro fechado, no ar ligado, é tudo tão lindo, animado; Pra quê se importar? Deixa o mundo acabar!

Predestinação?! 07/03/2009

Posted by Bruno Mazzi in Utilidades.
2 comments

Mais um dia, mais pensamentos, dúvidas, e respostas, aos poucos, chegando; junto com mais quilos de dúvidas, e feliz por a vida ser assim; o que seria da humanidade sem suas dúvidas?!

E nesse dia me ocorreu um pensamento muito interessante, mais uma vez a reflexão clássica de sociedade, diferenças sociais, e nesse meio tempo, me lembrei da teoria calvinista, de que…Ahhhh, esperem aí então!

(voltando as origens)

Um pouco de cultura para vocês: “Ocorrido como um desdobramento da Reforma Luterana, o movimento Calvinista foi uma das principais religiões surgidas durante a Reforma Protestante. Segundo Calvino, o princípio da predestinação absoluta seria o responsável por explicar o destino dos homens na Terra. Tal princípio defendia a idéia de que, segundo a vontade de Deus, alguns escolhidos teriam direito à salvação eterna. Os sinais do favor de Deus estariam ligados a condução de uma vida materialmente próspera, ocupada pelo trabalho e afastada das ostentações materiais. Em outras regiões da Europa o calvinismo ganhou diferentes nomes. Na Escócia, os calvinistas ficaram conhecidos como presbiterianos; na França como huguenotes; e na Inglaterra foram chamados de puritanos.”

Em resumo, Calvino acreditava que Deus selecionava certas pessoas, pra terem direito a salvação, essas pessoas eram indicadas por sua condição social, se uma pessoa nascesse em família rica, pronto, sinal que Deus tinha escolhido ela pro reino dos céus…mas então…quem disse que isso não tem um fundo de verdade?!

Pense bem comigo…num digo que seja deus, nem que os ricos sejam salvos, kk, ia ser ridículo; mas onde nascemos influi muito em nossas vidas. Se não com salvação, com uma vida ‘fácil’; Quantas mentes brilhantes não são perdidas, por falta de apoio, ou condições. É um ciclo, o lugar onde nascemos é totalmente determinante para nossa vida, quantos riquinhos metidos, burros e hipócritas você não conhece? E quantas pessoas muito inteligentes que não tem condições de ‘exercer’ essa inteligência; Estudar, fazer uma faculdade, ser bem sucedida?!

Isso tudo nos rodeia, querendo ou não, todo dia.

Pois bem, se existe algo maior controlando tudo isso realmente, mesmo que nossa condição financeira não nos reserve a salvação, nos reserva uma vida muito mais agradável e tranqüila, então somos todos predestinados a algo, querendo ou não…e não, por favor, nada de…’podemos ser tudo que queremos’…porquê esse papo também já deu no saco!

Reflitam.

Idéias Recortadas 22/02/2009

Posted by Bruno Mazzi in Utilidades.
2 comments

Abra os olhos! A verdade destoa quando a ciência se escoa; o medo abre as portas da concepção humana à mentira cotidiana…somos deuses de nossos mundos; a verdade é aleatória a quem cria sua escória, somos quem queremos ser e não quem devemos ser, nosso fado é o descontrole da vida incontrolável. , somente pó procurando a verdade das rochas. Pense! Veja! Escreva! As palavras são um dom divino da qual não devemos fugir, sem nos trair, o mar das letras e pensamentos nos alvejam com o conteúdo mais profundo; onde o mundo da ignorância jamais deseja ir. Sem sair, deixar a cruz, nosso fado humano, profano; faça jus! E que o último apague a luz!

Eu queria ser livre! 12/02/2009

Posted by Bruno Mazzi in Inutilidade Jovem.
2 comments

Não amiguinhos e amiguinhas, esse não é nenhum post de libertação sexual gay a lá “I want to Break Free”…É um post reflexivo, carregado do bom e velho romantismo e reflexão filosófica.

Sim, eu queria ser livre…mesmo, mas eu não sou?! Todos somos (pelo menos teoricamente)…mas todos nós nos sentimos presos, por quê?! Todos temos aqueles dias em que acordamos, de saco cheio, querendo mais é pegar as coisas e sumir, mas ninguém (teoricamente denovo) faz isso…algo nos prende as nossas vidinhas medíocres…

Queria ser livre…financeiramente, psicológicamente, filosoficamente, sentimentalmente, religiosamente…entendem?! Ser livre pra fazer o que quiser quando quiser, pensar em mim, só em mim, mas todos nós somos presos a rotina, a vida ‘comum’…há horas que a vontade de mandar tudo pro inferno é maior que tudo, mas algo nos prende…

Algo nos prende, sim, nossa CONSCIÊNCIA nos prende…“Ser racional é a maior fonte de Irracionalidade!” (Créditos a mim :P)

Entendam como queiram…

Pensem melhor nisso 😉 Abraços!

à Vida (tim-tim) 31/01/2009

Posted by Bruno Mazzi in Utilidades.
2 comments

Em mais esse texto pitoresco, regado a filosofia Simpsoniana; não! Sim é; não me aterei ao velho clichê de “…é preciso amar (áh áhhh) as pessoas como se não houvesse amanhã, por que se você parar pra pensar na verdade não há…” Adoro Legião, e Renato, mas isso é demais pra mim 😛

Em mais um momento de reflexão assistindo os simpsons ainda na segunda temporada, episódio 11, “Todo mundo morre um dia”…episódio muito conhecido em que Homer come Baiacu envenenado e tem pouco tempo de vida, e teme por ela.

Mas não, não vou contar o episódio pra vocês…essa nem é a minha função, minha função é abrir vossas mentes para um universo muito maior que o óbvio, um labirinto de informações, percepções, e idéias sendo passadas, e que levam a reflexão, através de algo totalmente ignóbil, até ‘tosco’ no sentido primitivo da palavra, que seria o desenho dos simpsons. Minha função aqui é fazer-vos aprender algo em cada minuto, em cada palavra, imagem, que alguém os apresente, assim como esse texto!

Agora sim o clichê…por que raios, perdemos nossa vida, buscando coisas ínfimas, sentimentos infundáveis, dinheiro principalmente, gastamos nossos pobres e curtos dias, acima desta superfície, apimentada, dura, mas cheia de experiências boas, chamada terra; e nos esquecemos de viver?!

A vida é algo muito maior que acordar as 6, trabalhar das 8 as 18:00, chegar em casa dar um oi ‘pras crianças’ e colocar o traseiro fétido na poltrona ‘carcomida’ para assistir futebol (nada contra) e beber cerveja!

Sim, queridos gafanhotos, aprendam a tratar cada dia como uma nova experiência, algo único que não volta jamais, aproveite para amar, ser amado, ajudar, ser ajudado, ter a humildade de se dar ao direito de pedir ajuda quando necessário, olhe o mar, o céu, são coisas que você nunca vai entender 😉

Dias que não voltam mais, mas que garanto que irão lhe fazer falta, sejamos todos felizes, aprecie a vida sem moderação!

Abraços a todos, aos amigos, desculpem-me, voltei!

Do seu Jovem-Idoso, Bruno!

E como sempre…que o último apague a luz do nosso ‘mundão véio’

Voltarei logo…

(nossa, to falando bonito :P, vou começar a andar com um dicionário, pra evitar gafes ortográficas XD)

Comentem, vocês são a descarga do meu vaso sanitário! (cerebral, lógico!) [metáforas fétidas]